Não sei, mas me disseram! (A arte da fofoca) | Chá para Expectativa

Não sei, mas me disseram! (A arte da fofoca)

Foto por Bean White



Algumas vezes, participamos (sim, não seja hipócrita) ou já fomos vítimas de boatos e comentários maldosos. O boato pode ser criado no trabalho, na vizinhança ou na parentela.

No seu trabalho, o (a) colega de equipe disse que acha que você fez algo inapropriado. Todos começaram a achar que você é antiético.

Na sua vizinhança, aquele(a) vizinho(a) disse que acha que você não foi para o lugar que está acostumado a frequentar e que fez algumas coisas por ai. Todos começaram a achar que você não tem um bom caráter.

Na parentela, aquele(a) primo(a) do interior que não te visita ou não fala com você faz um tempo, disse para sua tia de 3º grau no Whatsapp, que acha que aquela publicação que você compartilhou/fez no Facebook foi para ela. Sua tia contou para...E todos começaram a achar que você é um(a) tremendo(a) babaca.

Sobre achismos e disse me disse? Não sei, mas me disseram que isso é capaz de causar acontecimentos desagradáveis.

As pessoas vão manter distância porque você não está com uma reputação muito boa - e no meio disso tudo, você vai ter que lidar com as intrigas, inimizades, olhares tortos e mais fofocas. Essas coisas e outras ficam mais evidentes a cada dia que passa e, você não sabe como e quando surgiu essa balela toda.

As pessoas vão preferir achar como verdade o que disseram a elas do que saber o que realmente aconteceu ou o que você fez.

Já que essa balela toda não é verídica.... Não sei, mas me disseram que em algum momento tudo isso cansa e você vai começar a se afastar das pessoas. E você vai se afastar daquelas pessoas que querem o seu bem.



Autor(a): Estephane Faria.



Chá para Expectativa© 2016 - 2017 | Layout por A Design